Fique de olho: nem sempre é possível realizar o reparo de para-brisa

O vidro do para-brisa corresponde a 30% da estrutura total do veículo, e é considerado um item de segurança. Além de proteger contra ventos, chuvas, pedras e outros objetos no caminho, em casos de acidente ele é capaz de suportar grandes impactos, protegendo o motorista e os demais passageiros do veículo. Por estar sujeito a grandes níveis de exposição, é extremamente comum que sofra trincas, fissuras ou rachaduras que podem ocorrer por diversas situações, entre elas: pedras, choque térmico, queda de objetos, pequenos impactos, etc.

 

Quando o para-brisa sofre algum desses impactos existem duas opções: reparar ou repor o vidro. Muitas pessoas optam pelo reparo de para-brisa, por possuir um custo mais baixo em relação a troca do vidro, porém é preciso ficar atento em quais situações é possível realizar o reparo de para-brisa. Tudo vai depender do tamanho da fissura, tempo para realizar o reparo entre outros fatores que influenciam diretamente no processo de reparo. A Saint-Gobain Autover separou algumas situações em que não é possível realizar o reparo de para-brisa para você otimizar o tempo e levar o seu veículo no lugar certo.

 

Reparo de para-brisa

 

Tamanho

 

Para realizar o reparo de para-brisa a trinca não deve ocupar o campo de visão do condutor, mais conhecido por “Área crítica de visão do motorista”, nem ficar a 2,5 cm das bordas. A fissura tem de ter menos de 20 cm de comprimento e a fratura de configuração circular não pode passar de 4 cm de diâmetro. Fora dessas condições, a única solução é a troca do vidro.

 

 

Profundidade

 

O para-brisa é composto por vidro laminado, que possui duas lâminas de vidro e uma camada intermediária de PVB (Polivinil Butiral), um plástico especial que torna a peça mais resistente e flexível. Caso a fissura tenha rompido o plástico que fica entre essas duas lâminas de vidro, não é possível realizar o reparo de para-brisa.

 

 

Mais de 2 reparos

 

Por algum motivo, ou azar, o vidro do para-brisa já sofreu danos duas vezes, e nessas duas situações foi possível efetuar o reparo dos vidros, ao invés de efetuar a troca. Porém, fique ciente que caso ocorra de novo não será possível reparar. Só é permitido realizar, no máximo, duas vezes o reparo de para-brisa, por isso, caso ocorra pela terceira vez, efetue a troca do vidro para garantir sua segurança.

 

 

Vidros laterais e traseiro

 

É mais comum aparecer trincos e rachaduras no vidro do para-brisa, devido a estrutura dos vidros serem diferentes, quando eles sofrem algum impacto, dificilmente sofrem fissura, pois normalmente estilhaçam. Em alguns modelos de carro, os vidros laterais e traseiros são compostos por vidro temperado, ou seja, são menos resistentes que o vidro do para-brisa, composto por vidro laminado. Em situações em que o vidro for temperado não é possível realizar o reparo.

 

 

Área interna

 

O reparo de para-brisa só pode ser realizado na parte externa do vidro do veículo, nunca internamente, devido a diferença de pressão do carro.

 

 

Tempo

 

Só é possível realizar o reparo até 30 dias depois de ter ocorrido a fissura, porque se impurezas entrarem na trinca do vidro a manutenção será prejudicada. Para realizar o reparo é preciso efetuar uma limpeza no local e na aplicação de uma resina que secará com ajuda de luz ultravioleta, por isso não pode haver poeira ou sujeiras. Além que a rachadura pode aumentar com o tempo, devido à pressão do vento a torção da carroceira.

 

 

Para saber com precisão se é possível ou não reparar o vidro do para-brisa será preciso a análise de um técnico especializado. Por isso, caso o vidro do seu para-brisa esteja com um trinco ou rachadura procure locais especializados que trabalhem com peças originais e sigam as normas de segurança. Mas não demore muito para levar a uma loja especializada, porque circular com vidros trincados é considerado infração grave acarretando multa de R$ 195,23 e cinco 5 pontos na carteira de habilitação.

 

Vai precisar efetuar a troca do vidro? Conte com os vidros da Saint-Gobain Sekurit que são produzidos com os mesmos padrões produtivos das montadoras, por isso são considerados vidros originais para reposição. Clique aqui para saber onde encontrar nossos vidros.

 

NEWS-VERLAUF